Paraquedista que morreu em salto perdeu os sentidos ao colidir com colega no ar, diz associação

Nova Morte em Boituva

O paraquedista Eudismar Almeida Araújo, de 56 anos, que morreu nesta segunda-feira (17) após cair às margens de um acesso da Rodovia Castello Branco, em Boituva (SP), perdeu a consciência após colidir contra o colega no ar e não abriu o paraquedas reserva, segundo informou o presidente da Associação de Paraquedismo Nilson Leitão.

"Infelizmente foi em uma pane. Um corpo batendo no outro naquela velocidade lá em cima é uma cassetada. Ele perdeu os sentidos. Um deles conseguiu abrir o reserva e ele [Eudismar] não. E ele veio com aquela pane no chão e na colisão contra o solo, porque é forte. O impacto com solo é forte", afirma.

O acidente aconteceu por volta das 11h. Segundo a polícia, Eudismar e Rodrigo Bon Costa sofreram uma colisão. O Corpo de Bombeiros informou que Rodrigo caiu na área do Centro de Paraquedismo e o outro em uma estrada que liga Boituva a Iperó.

Eudismar foi levado ao Hospital São Luis em estado gravíssimo, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O funcionário público era casado, morava em Salvador (BA) e passava férias em Boituva.

Rodrigo Bon Costa foi socorrido com ferimentos graves, levado para o hospital de Boituva e, durante a tarde, transferido para o Hospital Regional de Sorocaba. Ele é agente penitenciário e mora no Rio de Janeiro.

Os dois paraquedistas eram experientes e tinham mais de 100 saltos realizados cada um. A Polícia Civil abriu inquérito para investigar as causas do acidente.

Testemunhas devem ser ouvidas nos próximos dias e os equipamentos usados por eles vão passar por perícia técnica.

"Foi um acidente mesmo, onde os dois pularam de um avião e durante a queda ocorreu uma colisão entre os dois e causou complicações na queda. Mas vamos investigar as causas", afirma o delegado Emerson de Jesus Martins.

Fonte: G1 Itapetininga

 

 

Comentários